Papa Francisco anuncia a canonização dos pais de Santa Teresinha

Arquidiocese de São Sebastião

O Papa Francisco presidiu, na manhã deste sábado, 27 de junho, no Vaticano, à celebração da Hora Terceira e o Consistório Ordinário Público para a Canonização de quatro novos Santos. Entre eles estão os cônjuges Ludovico Martin e Maria Azelia Guérin, pais de Santa Teresa de Lisieux.

Luís e Zélia Martin – como são conhecidos - foram beatificados em 19 de outubro de 2008 pelo então Papa Bento XVI e sua canonização foi a primeira na história deste tipo. Agora, o casal Martin serão canonizados no ano em que acontece o Sínodo para a Família, a ser realizado em outubro, no Vaticano.

Luís e Zélia Martin são os pais de Santa Teresinha do Menino Jesus, Padroeira das missões e uma das santas mais queridas pelo Papa Francisco, proclamada doutora da Igreja pelo Papa São João Paulo II em 1997.

Casal Martin
Casados em 1858, Luís e Zélia tiveram nove filhos, dos quais quatro morreram na infância e cinco seguiram a vida religiosa.

As 218 cartas que foram conservadas de Zélia, de 1863 até sua morte em 1877, registram o ritmo de vida com a guerra de 1870, a crise econômica, os nascimentos e mortes de quatro bebês.

Missa diária às 5:30, Ângelus e Vésperas, o descanso dominical, o jejum durante a Quaresma e Advento. Mas também piadas e brincadeiras; Louis gostava de pescar e jogar sinuca.

Convidavam os pobres para comer em casa e visitavam os idosos. Também ensinaram suas filhas a tratar os mais pobres como iguais.

Zélia morreu com um câncer muito doloroso, aos 46 anos. Louis ficou com as cinco filhas pequenas: Marie, Pauline, Léonie, Céline e Teresinha, que tinha apenas quatro anos e meio, mas sempre recordava de sua mãe como uma santa. Louis morreu em 1894, depois de sofrer uma doença mental grave.

Ambos foram beatificados em 19 de outubro de 2008 por Bento XVI e sua canonização será a primeiro conjunta de um matrimônio. Muitos propõem a vida cotidiana de santidade como um modelo para este tempo.

Processo de canonização
Os processos de canonização de Zélia e Luís foram instruídos separadamente pelas dioceses de Bayeux-Lisieux e de Séez entre 1957 e 1960 e enviados a Roma para apresentação à Congregação para as Causas dos Santos. Em 26 de março de 1994, reconhecida a heroicidade de suas virtudes, eles foram declarados Veneráveis pelo Papa João Paulo II. A beatificação do casal ocorreu em 19 de outubro de 2008, na Basílica de Lisieux (dedicada a Santa Teresinha), quando se celebrava o Dia Mundial das Missões (das quais a Santa das Rosas é padroeira). Foi estabelecido pela Igreja que a festa em honra dos esposos seja no dia do seu matrimônio.

O milagre que deu causa à beatificação foi a cura do italiano Pietro Schilirò, nascido em 25 de maio de 2002 com grave má-formação pulmonar, que segundo todos os médicos que o examinaram inevitavelmente o levaria à morte. A família e amigos dos pais do menino fizeram duas novenas a Zélia e Luís Martin. No dia 27 de julho, o menino deixou o hospital, inexplicavelmente curado. Em junho de 2003 foi reconhecida a origem milagrosa da cura.

Zélia e Luís são os primeiros pais de um santo a serem beatificados e o segundo casal a ser elevado à honra dos altares – o outro é formado por Luigi Beltrami Quatrocchi e Maria Corsini, beatificados em 2001 por João Paulo II. A primeira festa litúrgica do casal Martin ocorreu em 12 de julho de 2009, em Lisieux, e foi presidida pelo arcebispo de Milão, cardeal Dionigi Tettamanzi, que apresentou o processo para a cura do pequeno Pietro.

(Fonte: Arquidiocese de São Sebastião)