Último livro escrito por Luiz Paulo Horta chega às livrarias

O Globo

Era noite do dia 1º de agosto quando o telefone da editora Ana Cristina Zahar tocou. Do outro lado da linha estava o imortal da Academia Brasileira de Letras e editorialista do GLOBO Luiz Paulo Horta, muito entusiasmado. O Papa Francisco acabara de deixar o Brasil, depois da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), e Horta queria falar dos planos para seu novo livro, com artigos sobre as transformações pelas quais a Igreja Católica havia passado nos últimos meses: um Papa renunciara, e outro, um argentino sorridente e de hábitos frugais, havia sido eleito. Horta disse a Ana Cristina que pretendia escrever uma introdução e escolheria citações do Papa Francisco que expressassem os novos rumos da Igreja. No dia 2, sexta-feira, mandou um e-mail formalizando seus desejos para o livro. Não teve tempo de vê-los concretizados. Na manhã de sábado, Luiz Paulo Horta morreu, em decorrência de problemas cardíacos.

CONTINUE A LEITURA NO SITE DO JORNAL

(por Maurício Meireles, Segundo Caderno, 28.nov.2013, p. 10)