Um Senhor Estagiário

Ben está aposentado há alguns anos, mas aceita trabalhar como estagiário para uma empresa na qual todos os funcionários têm a metade da sua idade
Beppe Musicco

Especialista em comédias românticas (O Amor Não Tira Férias, Simplesmente Complicado, Do Que as Mulheres Gostam), Nancy Meyer sempre consegue garantir nomes famosos no elenco, o que garante público aos filmes escritos ou dirigidos por ela. E também desta vez, com a dupla Robert De Niro – Anne Hathaway, o filme parece ter pegado o caminho certo.

Robert De Niro interpreta Ben, um aposentado morador de Brooklyn, que vive sempre em busca de algo que preencha os seus dias, ou seja, o vazio do seu coração, através do yoga, estudo do chinês e viagens. A mulher faleceu, o filho mora do outro lado da América e os amigos estão partindo um a um. Quando encontra o panfleto para um programa de inserção de estagiários senior em uma jovem empresa, decide se candidatar, mandando o vídeo pedido para a classificação. Torna-se o preferido após a entrevista e é contratado.

A sociedade em questão é um site de venda de roupas, que em um ano de existência já alcançou um enorme sucesso. A fundadora, mente e coração da empresa é Jules (Anne Hathaway), trabalhadora compulsiva, mulher, mãe, e empresária que deve decidir-se a contratar um diretor, visto que, apesar de comer e dormir pouco, tem dificuldades em acompanhar o aumento dos negócios. Para ela cada segundo é sagrado, o que justifica sua locomoção dentro da empresa de bicicleta.

Mesmo aqueles que leram estas poucas linhas podem adivinhar a linha que percorre o filme, com De Niro no papel da figura experiente e paterna que consegue enxergar longe o futuro da empresa, mas também a alma perturbada da sua fundadora. O aposentado sempre pontual que se apresenta de terno e gravata em um ambiente no qual o mais elegante veste um moletom amarrotado; pouco a pouco vai se tornar o ponto de referência para os jovens do escritório e conquistar o coração da senhora massagista da empresa (Rene Russo) com seu modo galanteador. Jules, após um primeiro momento de desconfiança, o elege como seu motorista. Mas depois, homem de confiança, a ponto de permitir o contato com sua filha e dividir algumas confidências pessoais e dolorosas. Ela também irá convidá-lo para uma viagem onde vai conversar com o possível novo diretor da empresa.

Não faltam problemas amorosos e um pouco de fofocas maliciosas por parte das mães da escola em relação a Jules, muitas vezes ausente. O filme arranca risadas ao retratar as dificuldades que os mais velhos têm para se adaptar às novas tecnologias. Além da estranheza e admiração dos jovens com os hábitos antigos do senhor estagiário. Tudo bom, muito profissional e agradável.

(Texto traduzido do site Sentiere del Cinema e adaptado por Caroline Baptista)