Bento XVI

A Infância de Jesus

Terceiro da trilogia dedicada a Jesus de Nazaré, livro faz uma análise de narrativas históricas dos Evangelhos, convidando o leitor a refletir sobre a maneira como a história de Jesus interage com a de cada um

"Finalmente posso entregar nas mãos do leitor o pequeno livro, há muito prometido, sobre as narrativas da infância de Jesus”. Assim o papa Bento XVI apresenta o livro "A Infância de Jesus", terceiro volume do seu projeto de contar a biografia de Jesus Cristo iniciado em 2003 e concluído agora, nove anos e três livros depois. “Nele procurei interpretar, em diálogo com exegetas do passado e do presente, aquilo que Mateus e Lucas narram sobre a infância de Jesus, no início dos seus Evangelhos. É minha convicção que uma interpretação correta requer dois passos. Por um lado, é preciso interrogar-se sobre o que pretendiam dizer com o seu texto os respectivos autores, na sua época histórica: é a componente histórica da exegese. (...) A segunda pergunta que o exegeta autêntico deve fazer-se é: O que foi dito é verdade? Tem a ver comigo? Se for assim, de que modo me diz respeito? No caso de um texto como o da Bíblia, cujo autor último e mais profundo - segundo a nossa fé - é o próprio Deus, a questão sobre a relação do passado com o presente faz parte, inevitavelmente, da própria interpretação”, escreve.

O primeiro capítulo do livro é dedicado à genealogia do Salvador nos Evangelhos de Mateus e Lucas, ambos muito diferentes, segundo o papa, mas com o mesmo significado teológico-simbólico: a colocação de Jesus na história. "Jesus não nasceu nem apareceu publicamente no vago ‘outrora’ do mito. Ele pertence a um tempo datável exatamente e a um ambiente geográfico indicado com clareza", escreve.

O segundo capítulo fala do anúncio do nascimento de João Batista e de Jesus, e nele Bento XVI escreve que lendo o diálogo entre Maria e o anjo Gabriel, se vê como Deus, por intermédio de uma mulher busca "uma nova entrada no mundo". O terceiro capítulo aborda o nascimento em Belém e seu contexto histórico, no Império Romano que, sob Augusto, se estende entre Oriente e Ocidente e que, com sua dimensão universal, "permite a entrada no mundo de um portador de salvação universal".

O quarto capítulo trata dos Reis Magos. No texto, o papa reconstrói uma ampla gama de informação histórico, linguística e científica. No epílogo, Bento XVI lança mão do Evangelho de Lucas e conta o último episódio da infância de Jesus, a última notícia que se tem dele antes do início de sua vida pública com o batismo nas águas do rio Jordão. Trata-se do episódio de três dias durante a peregrinação da Páscoa, na qual Jesus, com 12 anos, se afasta de Maria e José e permanece no Templo de Jerusalém debatendo com doutores da Lei.


A Infância de Jesus
Autor: Bento XVI
Editora Planeta
R$ 24,90
Encomendas: Livraria Companhia Ilimitada (11) 2950-4683 ou (11) 2950-4683
livrariciailimitada@gmail.com